Perdoar para ser perdoado

Em um dos Mahavakyas Sri Bhagavan diz:

– “Se você sofrer e perdoar, permanecerá em mim e eu ficarei em você e sua natureza humana passa a ser Divina.”

Religiões e profetas dos tempos imemoriais têm enfatizado sobre a importância do perdão para se alcançar o crescimento espiritual.

Esta descoberta atemporal das pessoas tem acontecido para você combater fogo com fogo, e com isso você só pode acabar em cinzas.

No entanto, as pessoas quase não tem entendido o que o “perdão” realmente significa e da importância de sua implementação real na vida cotidiana.

Ainda mais, no mundo altamente competitivo e orientado para atuais realizações o homem pode alcançar o perdão se pegar todo o conceito de perdão sendo mais esotérico para sua compreensão coloquial.

Toda a gente sente que é algo muito extraordinário.

Há uma determinada hora que Sri Bhagavan revela o know-how – conhecimento, e o mistério por trás do perdão no mais simples dos costumes já explicado, provavelmente em toda a história da humanidade. Vamos agora explorar isto.

O que é o perdão?

Um “acontecimento” interno se realiza, e você não mais carrega a dor ou o sofrimento que alguém lhe causou.

Não há julgamento interior, condenação ou um sentimento de vingança (mesmo a nível de pensamento).

O incidente ou a pessoa não se mantém assombrando você.

Há apenas compreensão e amor quando você se lembra ou quando você vê aquela pessoa, e não qualquer tipo de maldade ou ódio.

Você está totalmente em paz.

Você tem que entender que:

– “Perdoar não significa esquecer.”

Em suma, o que acontece é que a pessoa não estará mais controlando você.

Por que devemos perdoar?

Existem muitas pessoas que se recusam a perdoar. Sentem que um ato de perdão de uma pessoa implica em ser fraco e estar com medo.

E que, quando outras pessoas soubessem disto eles iriam rir de você.

Felizmente, isto não é verdade!!!

Então, vamos agora entender a necessidade de perdoar e o que acontece quando o perdão está ausente em nossas vidas.

1 – Sri Bhagavan diz em uma de suas *Mahavakyas ( Grandes expressões contemplativas que fornecem perspectiva e percepções para os textos):

– “Lembre-se, cada vez que nos encontramos, eu o julguei ser um amigo, mas não me senti apto a fazer qualquer julgamento sobre você. Você tem estado julgando a si mesmo, como também tem estado julgando os outros.

Você não é capaz de perdoar a si mesmo, então você busca o arrependimento, não como forma de perdoar os outros, mas como se procurasse vingança.

Assim, você tem sido apanhado nos ciclos de nascimento e morte.

De minha parte, tenho mantido a minha palavra.”

Como podemos ver nesta Mahavakya, somos apanhados nos ciclos de nascimento e morte por causa de nossa incapacidade de perdoar, em ambos os casos, à nós mesmos e aos outros.

Este mundo é uma escola projetada para nosso aprendizado; Temos que repetir nossas visitas na terra se não formos capazes de aprender e evoluir.

2 – Se não perdoamos, nós carregamos a outra pessoa em nós e o que ele / ela está controlando em nossas vidas, mesmo que estejamos fisicamente distantes.

Nós não nos sentimos confiantes em esquecer a situação ou a pessoa.

Tudo o que poderia estar sendo feito, o passado continuamente nos mantém assombrados e, como resultado, perdemos a paz de espírito e não nos sentimos confiáveis para continuar nossos trabalhos de forma eficiente.

De certa forma ocorre “falha de inteligência”.

3 – Além disso, quando você tem uma carga intensa, estranhamente, você encontra com o mesmo tipo de pessoas onde quer que vá, até que, ou a menos que, a carga tenha desaparecido. Por exemplo:

“A” odeia pessoas que sentem raiva e são muito críticas (aí há uma carga). Em sua vida você irá conhecer pessoas que são de pavio curto e críticos. Assim, até que você complete seu aprendizado, a vida o manterá sempre em situações ou pessoas deste tipo.

4 – À medida que o mundo externo é apenas um reflexo do mundo interno, sentimentos intensos como ódio ou dor irão resultar em problemas financeiros, problemas de saúde e fracassos na vida.

5 – E, por último, Sri Bhagavan não poderá nos dar a Graça enquanto nossos corações estiverem cheios de ódio e não tiverem espaço para que a Graça Divina flua embora Sri Bhagavan queira muito nos ajudar.

Conhecendo esta severa perda em consequência da falta de perdão, você irá entender a necessidade do perdão. Pois, onde há perdão, os milagres são acontecimentos naturais.

As portas da Graça estão sempre abertas. (No entanto, você não deve praticá-lo na expectativa de um milagre).

Como perdoar?

Experienciando a dor ou mágoa em sua totalidade. Não escape dela, não a justifique, não seja indiferente a ela, etc., mas experiencie a dor tal como ela é.

Para experienciar a dor, você terá que se relacionar com ela em toda a sua crueza e nudez.

Ela está lá, o que ela é. Não há absolutamente nenhuma desculpa ou justificativa para a sua presença em nossas vidas. É somente na perspectiva desta experiência, de dor.

Neste processo, a dor desaparece e o perdão “acontece”.

Por isso, o perdão é um acontecimento, quando você experiencia a dor.

Rajat estava profundamente magoado. Seu professor tinha sido muito duro com ele hoje, quando ele não conseguiu dar uma resposta correta no questionário das provas inter escolares. Rajat sentia que tinha tentado dar o seu melhor, mas a sorte não estava com ele.

Em vez de compreendê-lo, seu professor estava se comportando com grosseira e estava sendo insensível com ele.

A auto piedade dominava Rajat. Ele realmente sentia que o que estava acontecendo era muito injusto com ele.

Tentou identificar exatamente as razões pelas quais este professor estava se comportando assim em relação a ele.

Por que alguém estaria envenenando os ouvidos do professor contra ele?

Seu professor era implacável porque Rajad não havia respondido a questão de seu professor como ele o havia instituído? Ou porque o professor estava favorecendo a turma de seu arqui rival, Milind? Tantos pensamentos vinham a mente de Rajat.

Vejamos outro exemplo:

Uma vez uma devota de Sri Bhagavan estava preparando o jantar para alguns convidados.

Como ela teve que sair para um trabalho importante, solicitou a sua empregada que ela a auxiliasse preparando a massa usando o mixer.

Infelizmente, no momento em que ela voltou, encontrou a borracha do mixer queimada e os preparativos estavam incompletos.

Ela ficou muito chateada e com raiva da negligência de sua serviçal.

Ela estava prestes a gritar e até mesmo bater na empregada quando ela de repente se lembrou do Mahavakya de “perdão”.

Imediatamente ela se sentou e começou a experienciar a mágoa e a raiva contidas nela, e continuamente começou a orar a Sri Amma Bhagavan para que lhe dessem a força desta experiência.

Como ela experienciou totalmente a dor (lembre-se, não é a indulgência), a dor desapareceu e em seu lugar só havia alegria e um sentimento estranho de amor pela empregada.

Ela foi até a empregada e lhe disse para ter cuidado da próxima vez e lhe pediu para que reparasse o aparelho.

Infelizmente como era um feriado, todos os estabelecimentos estavam fechados. Então, ela foi para a cozinha, rezando a Sri Bhagavan em total desamparo.

Para seu espanto, o mixer começou a funcionar. Foi um milagre!!!

Da mesma forma, nos deparamos com inúmeras situações em que ficamos feridos.

Nós somos incapazes de sofrer (experienciar) nossas situações integralmente.

Estranhamente, no entanto, todo mundo sente que ele / ela está sofrendo a dor.

Sri Bhagavan nos diz que percebemos que estamos sofrendo, normalmente quando fazemos uma tentativa de fugir da dor.

Se aprendermos a “sofrer” corretamente, a natureza da criação é que o perdão ocorra.

Nesta conjuntura, pode-se perguntar, isso não deve ser muito prático.

Digamos, alguém engana Gaurav. Gaurav é que simplesmente tem que sofrer e perdoar!

Sri Bhagavan diz que o perdão é um processo interno. Não deve ser confundido com praticar ações corretas no mundo externo.

O que Gaurav precisa fazer é experienciar a mágoa e a raiva dentro dele mesmo. Quando ele experiencia, ele trata de si mesmo e consegue responder expontaneamente a situação externa sem nenhum rancor ou juízo interior.

Ele tem que lembrar que qualquer ação ou decisão que venha a partir da mágoa, só poderá levá-lo a situações mais miseráveis.

Você não responde; você somente reage ou controla suas emoções.

Assim, quando sofremos internamente uma situação, poderemos ser muito funcionais no mundo exterior também.

Não é suficiente você saber disto apenas intelectualmente. O ensinamento tem de ser implementado em suas vidas reais.

Lembre-se, Sri Bhagavan nunca vai lhe dizer para fazer qualquer coisa que possa ser impossível. Inicialmente, pode ser um pouco difícil.

Uma vez que você pegue o jeito você vai gostar de fazer sempre da mesma forma.

Portanto, não basta pensar nisso.

Faça aqui e agora e em todos os eventos de sua abençoada vida, para seu aprendizado e, em seguida, testemunhe como os milagres se desdobram em sua vida.

Facebook
Facebooktwittergoogle_pluspinteresttumblrmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.