Mensagem do dia 30 de julho de 2017

“Para se destacar no mundo exterior você precisa começar do seu mundo interior.”
– Sri Bhagavan

 

A VIDA É UM ESPELHO – As crenças são o projetor e o mundo exterior a tela. No mundo exterior nos movemos através dos relacionamentos.

“Existe uma correspondência entre o mundo interior e o mundo exterior.

Sem se dar conta, você está criando seu mundo exterior a partir do seu mundo interior.

Quando o mundo exterior não funciona é porque seu mundo interior está desequilibrado, está em luta.

Há uma correspondência.

Precisa estar consciente de que se solucionarmos nossos conflitos internos, nosso mundo exterior vai mudar, pois este corresponde àquele.

Se você tem uma determinada crença que lhe levou a uma espécie de sofrimento, terá que trabalhar sobre essa crença para que possa projetar em seu mundo exterior algo que sirva para eliminar esse sofrimento.

Podemos dizer que as crenças são o projetor e o mundo exterior a tela.

No mundo exterior nos movemos através dos relacionamentos e temos visto que os relacionamentos são o espelho no qual você pode ver e saber, ainda que habitualmente sempre tentemos nos justificar para não aprofundar o conhecimento.

Sempre que você passa por um problema de relacionamento, de fato consegue ver mais de si mesmo.

Veja o seu lado ferido, esse que quer amar, que quer atenção, que não pode perdoar, que não é aceito, que se sente rejeitado.

Quando você aceita isso dentro de você, verá que seu mundo exterior muda imediatamente.

Por isso, nos relacionamentos é tão importante estar atento ao que seu mundo interior expressa.

– “Escute a sua mulher quando lhe agride, é como se fosse um pássaro cantando.”

Não importa o que a outra pessoa expresse (isto pertence ao mundo exterior), mas como seu interior o vivencia.

Pratique a escuta, pois assim você vai experienciar seu interior.

Vimos que o sofrimento se inicia com um fato, situação ou pessoa a quem culpamos para imediatamente nos sentirmos culpados.

Mas a causa não está aí nesse fato, mas em nosso interior.

Vimos que é preciso tomar consciência disso para que possamos aplicar o sutra e, dessa forma, nos liberar do sofrimento criado.

É necessário “olhar para nós” internamente porque se não o faz e foge, esse sofrimento se tornará uma carga que fará com que em seu mundo externo seja refletido como algo que não deseja nem gosta.

Passamos a vida tentando mudar o que nos desagrada ao nosso redor, queremos mudar as pessoas, queremos mudar de trabalho, queremos que nossos políticos mudem…

Você pode mudar os móveis de lugar em sua casa, mas nem por isso deixa de ser a mesma casa.

O exterior sempre refletirá seu estado interno.

Se está cheio de cargas não faz mais que escondê-las, esse “mal estar” interior será projetado em todos os âmbitos de sua existência e não estará confortável em sua casa, nem no trabalho, nem com sua família, nem com seus amigos e se relacionará com egoísmo, conforme sua conveniência e não com amor porque em seu interior o amor não tem lugar devido às inúmeras cargas que não quer enfrentar.

Compreendendo o sutra de hoje, o mundo externo informa como se encontra realmente seu interior.

Quantas vezes falamos mal de uma pessoa com a qual não estamos nos relacionando?

Por que você não percebe que o que você não gosta nessa pessoa é algo que não gosta em você?

Esta pessoa está fazendo o papel de espelho.

Que boa ocasião para aprofundar no conhecimento de si mesmo!

Quantas coisas você mantém ocultas em seu interior!

E não se detém nisso porque não quer se conhecer. Está acostumado a viver com múltiplas personalidades criadas por você que se esqueceu de quem você é realmente.

Cada uma dessas personalidades desenvolve sua própria conduta e é muito provável que, com algumas de suas personalidades, esteja envolvido em juízo, em comparação…

Pare! Reconheça que essa personalidade que está falando nesse momento, que está julgando ou comparando e que esse juízo ou essa comparação estão sinalizando isso que não gosta em você.

Assim começará a aprender a praticar a arte da escuta, porque seu interior está falando continuamente com você e você, sem dúvida, se empenha em continuar com esses tampões que lhe impedem de ouvir o que seu interior lhe diz, porque tem medo de saber quem você é e de se aceitar como tal.

E você nem sequer percebe que os outros, o seu exterior, estão lhe ensinando isso que você nega em ver em você.

Nos comportamos como uma folha morta e nas ocasiões que vislumbramos esta situação, cremos que não estamos preparados para esta confrontação e fugimos de nós mesmos por ser mais confortável e fácil.

Se você coloca atenção nesse espelho que são as outras pessoas ao seu redor, crescerá em conhecimento do autêntico ser que você é e começará se reconhecendo feliz, pois a felicidade é um estado do ser.

Reconheçamos nosso ser.”

– Sri Bhagavan

 

 

Facebook
Facebooktwittergoogle_pluspinteresttumblrmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.